Wednesday, October 15, 2014

I did these october last year (hence the date written on the corners :p) and never got around and actually posting them here, so here you go, hope you like it. (the perspective in Sjin’s drawing is really fucked up, I’m really sorry)

Friday, August 9, 2013

Faz muito tempo que não posto aqui.

Tuesday, May 14, 2013 Saturday, March 9, 2013

9 de Março, 2027

Perdemos a conexão com São Laurentino, é possível que eles tenham sofrido um ataque, mas não sabemos. Estamos agora dentro de um veículo, estamos nos dirigindo para lá, para ver se eles foram atacados, e caso tiverem sido atacados, se ainda há algum sobrevivente. Também temos que re-estabelecer a conexão com os pontos de refúgio, caso algum sobrevivente de uma outra área chegue a encontrar os abrigos de lá. Esses últimos dias tem sido um pesadelo, essas coisas, que nem sabemos direito o que são, elas são horríveis. O Jonas sugeriu que são zumbis, eu discordo, eles tem força demais para serem mortos-vivos, parecem que nunca estiveram mortos, de fato, parece que estão vivos como nunca, correm como se não houvesse amanhã. E também, diferente dos zumbis de filmes e video-games, essas… essas… chamar-los-ei de “infectados” por enquanto, até ter um nome melhor, ou descobrir que são outra coisa, enfim, como eu estava falando, os infectados, diferente dos zumbis que aparecem em filmes ou video-games, eles não parecem buscar pela carne humana para se alimentar, eles vão atrás dos humanos apenas para os infectar, como se não soubessem o que estão fazendo, atacam os humanos até eles pararem de se mexer por causa do vírus (suponho eu), eles nunca atacam para conseguir alimento, de fato, acho que nunca vi um infectado se alimentando, eles parecem que “vivem” apenas em função de infectar mais humanos, de espalhar a infecção, o vírus, a maldade!! Como um plano mirabolante de um vilão dos quadrinhos. Para falar a verdade, estou começando a considerar mais essa hipótese do que “Apenas um acidente isolado em um laboratório militar”.

Sunday, January 13, 2013
Salute your future.
Click here to watch the speed drawing.
dspena.deviantart.com

Salute your future.

Click here to watch the speed drawing.

dspena.deviantart.com

Sunday, December 30, 2012
I started drawing kind of serious but then gave up after drawin sly’s face and the rest looks like omg wtf happenned, the end.

I started drawing kind of serious but then gave up after drawin sly’s face and the rest looks like omg wtf happenned, the end.

Saturday, December 29, 2012

Diário de guerra.

Estive pensando sobre ela o dia inteiro, o tempo em que conversava com ela todo dia, tentava dizer meus sentimentos por indiretas ou por diretas, mas acho que não saía, ou então ela não os via sair, talvez visse, mas fingia que não via. Melhor deixar pra lá, meus companheiros precisam de mim na linha de frente.

Fui procurar em minha carteira por munição extra e vi uma foto dela, não me lembro o porquê de carregar aquela foto ali, nunca tivemos nada, para a minha infelicidade, eu sempre quis, mas não queria ter que explicar meus termos e condições, pensava que se me concentrasse o bastante, talvez ela conseguisse ouvir meus pensamentos, mal sabia eu que estava desperdiçando meu tempo. Desperdicei meu tempo me machucando com essa lembranças, meu revolver está vazio e eles estão avançando em nossa direção.

Ela parecia tão perto, e ao mesmo tempo tão distante. Eu pensava que ela queria o mesmo de mim que eu queria dela, mas meu alter ego dizia que eu estava errado, que de mim ela não queria nada, que eu estava perdido, meu Id mandou eu continuar firme e não desistir dela, disse que a luta valeria a pena. Meu comandante gritou meu nome, perdi um braço e provavelmente perderei minha vida nessa guerra, mas nada disso importa, já que o meu coração perdi a muito tempo.

Tuesday, December 4, 2012

Psicologia inversa

O amor não existe, foi o que te disseram, foi o que você tentou se convencer de ser a verdade. Você sabe que a realidade é pior, você sabe que tudo pode piorar, e você também sabe que vai piorar.

A morte pode ser melhor, mesmo sendo fria e vazia. A morte é a fuga dos covardes, mas talvez os covardes estejam certos. Talvez você seja um covarde. Você não está com medo?

Seu cavalo está morto, suas pernas se foram, já apodreceram. Onde eles estão agora? Estão te atacando por trás, você sabe disso, você sente, você acha que assim pode ser melhor. Você procura motivos para justificar toda sua miséria, você não os encontra. Tente procurar onde não procurou ainda, em si mesmo.

Ela se foi amigo, você sabe disso. Pare de dizer que é melhor assim, você sabe que não é. Repetir uma mentira não a faz verdade. Não está melhor, você sabe disso melhor que todo mundo. Ela pode estar feliz, mas isso não é tudo que importa, porque ela não está com você. Olhe só para você, eu sei que até você sente nojo de sua situação atual. Não se engane.

Mudanças

O conformismo cai com uma luva. Você sabe que não vai mais sair daqui, você sabe que não tem mais jeito.

Continue aí, cave mais fundo.

Você sabe que não tem coragem pra dizer alguma coisa, pra mudar as coisas.

Continue aí, perdeu sua chance.

Você queria que fosse diferente, você queria que fosse com aquela pessoa, você sonhava.

Continue aí, ela se foi.

O fogo se espalha mais quando você se movimenta, a dor e a tristeza são só sentimentos que sua mente tenta te dizer que existem.

Mexa-se mais, agonize.

Tuesday, October 30, 2012

Hit and run

Andando por aí, em uma rua escura, queria poder dizer que estava sem rumo, mas eu tinha um rumo, meu lar. Estava muito cansado, ombros doídos, cabeça tombado olhando pro chão, mãos balançando em sincronia com meu andar e meus pensamentos estavam longe dali, em um lugar bem melhor de onde eu estava, um lugar onde eu queria poder estar. Um lugar sem toda esta agonia e insatisfação, sem todo esse pessoal, que tanto reclama de sua situação atual, mas continua num mesmo marasmo sem fim, como se seus tornozelos estivessem presos no chão, e não pudessem se mover para corrigir o que há de errado, como se toda sua fúria e ira simplesmente dissipasse pelo fato de ele se contentar com o fato de não poder fazer nada. Eu sou só mais um hipócrita nessa tempestade de acusações.

Apesar da escuridão na rua, pude ver quando um sujeito passou sob a luz de um poste. Aquele sujeito, era simplesmente tudo que eu mais odiava nessa vida, podia sentir toda aquela essência podre o rodeando, como urubus quando veem uma carcaça pronta para ser abocanhada. Me senti mal só de vê-lo, mas além desse sentimento de desdém, também senti que deveria fazer alguma coisa, foi quando no mesmo instante, o sujeito chegou perto o suficiente para que eu conseguisse ler sem o auxilio de meus óculos, o que estava escrito em sua camisa de marca esportiva, e nela estava escrito “Just do it”. Estampado em seu peito, como um lema que dirige uma geração livre, sem nada para interrompê-la. Quando li aquilo, pude sentir um calor subindo por meu corpo, foi quando sem pensar duas vezes, fechei meu punho direito, e pus toda a minha força em um soco que acertou em cheio o rosto do sujeito. Ele caiu desmaiado, nem mesmo eu sabia que possuía tanta força. Após tal feito, fique lá paralisado, fitando aquele corpo caído no chão, com um sentimento misto de espanto e alegria, minha expressão facial constantemente mudando entre minha boca e olhos bastante abertos, para um sorriso que preenchia toda a minha face.

Depois que percebi o que havia feito, fiquei mais feliz ainda, eu me sentia vivo, mais vivo do que nunca! Comecei a correr o mais rápido que conseguia em direção ao meu destino, meu lar, para que quando lá chegasse, pudesse deitar na minha cama, e lá refletir sobre o que havia feito, e como eu me orgulhava de ter feito aquilo! Ah sim! Eu não era só mais um hipócrita que não faz nada e mesmo assim reclama de sua situação atual, eu havia feito algo, mesmo que esse algo tenha sido agredir a ponto de desmaiar um estranho no meio da rua e depois sair correndo.